Segurança Pública

Polícia Civil prende quadrilha que atraía vítima com jogo da tampinha

A Polícia Civil de Arapongas prendeu na última quinta-feira (16) sete pessoas envolvidas no golpe da tampinha.

Foram presos: Fernando Aparecido Ferreira, 35, João Batista de Abreu, 53, Lucy Regina Evangelista Estela, 53, Ovídio Estela, 58, Silvano Inácio Xavier, 38, Valdecir dos Santos, 50, e Willian Ariel Barbosa, 28.

Segundo a polícia, no dia das prisões o bando aplicou um golpe contra um caminhoneiro na PR-444. O prejuízo para a vítima foi de R$ 5 mil.

O crime consiste em fazer com que a vitima acredite que está participando de um jogo de azar, quando na verdade está sendo vítima de um golpe.

Os criminosos estavam sendo investigados pela prática criminosa há muitos anos no mesmo lugar onde foram detidos, na PR-444 em um local conhecido como barraca de salame.

De acordo com a polícia, o crime contra o caminhoneiro foi praticado mediante estratégia criminosa de impossibilitar a resistência da vítima, com a participação de vários agentes com funções específicas.

Além disso, a associação criminosa em questão utiliza de violência psicológica à pessoa, violência física e até mesmo de grave ameaça com emprego de arma de fogo, como revelaram as investigações.

Com a prisão do grupo, o valor de R$ 5.000,00 subtraído foi recuperado e devolvido para à vítima.

No interior da barraca de salame de foram apreendidas para polícia as tampinhas usadas no golpe.

Ainda segundo a polícia, a conduta criminosa não se consiste em jogo de azar, pois o suposto “jogo das tampinhas” era utilizado somente para atrair as vítimas, que posteriormente seriam alvos de roubo por parte da quadrilha.

A Polícia Civil classificou que a associação criminosa investigada representa uma vergonha para a cidade de Arapongas, sendo que a quadrilha atua há anos, à luz do dia, causando enormes prejuízos a famílias e viajantes desavisados, em total afronta à ordem pública, à Lei, à Justiça e ao Estado Democrático de Direito.

A Polícia Civil requereu judicialmente a prisão preventiva do grupo, bem como a interdição e proibição de funcionamento da barraca de salame localizada às margens da Rodovia PR-444, Km 10,5, com aplicação de multa diária em caso de descumprimento da ordem judicial, por ser a única forma de coibir as atividades criminosas e garantir a proteção das pessoas que circulam diariamente pela referida rodovia.

Os sete investigados encontram-se presos na Cadeia Pública de Arapongas.

A Polícia Civil solicita que outras pessoas que tenham sido vítimas deste crime e reconheçam os autuados, procure a 22ª Subdivisão Policial de Arapongas, localizada na Rua Marabu, 552, Centro, para que sejam adotados os procedimentos de Polícia Judiciária.

Denúncias anônimas podem ser encaminhadas para o WhatsApp do Disque Denúncia da 22ªSDP: (43) 3278-2222.

Fonte
Guilherme Spanderberg
Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar