Governadora confirma contratação de 1.156 novos agentes de cadeia

Profissionais atuarão em unidades penais e cadeias. Contratação foi tema da reunião de integração das forças de segurança do Paraná, quando também foi anunciada a instalação de equipamentos de videoconferência para audiências com os detentos.

0
296

A governadora Cida Borghetti confirmou na terça-feira (22/05), durante a quarta reunião de integração das forças de segurança do Paraná, a contratação de 1.156 novos profissionais para atuar como agentes de cadeia pública. O edital para a abertura do processo seletivo simplificado (PSS) já está publicado no Diário Oficial.

O processo vai selecionar 982 homens e 174 mulheres. Os agentes de cadeia pública são responsáveis, principalmente, por orientar, vigiar, fiscalizar, revistar e conduzir os detentos em unidades penais e cadeias públicas, apreendendo objetos suspeitos ou não permitidos.

Do total de vagas, 221 são para a região de Curitiba e as demais serão divididas entre unidades do interior – Ponta Grossa, Guarapuava, Londrina, Cornélio Procópio, Maringá, Umuarama, Cascavel e Francisco Beltrão.

A governadora afirmou que as novas contratações trarão um reforço ao atendimento. “O sistema prisional precisa ser um espaço de ressocialização e reintegração das pessoas que cumprem pena. A contratação de novos profissionais permitirá um melhor atendimento a essas pessoas”, disse Cida. “O reforço na segurança pública é uma demanda importante da sociedade e o Governo do Estado tem que dar as respostas necessárias”, enfatizou.

O secretário especial de Administração Penitenciária, coronel Élio de Oliveira Manoel, explicou que o processo seletivo vai liberar os policiais civis do trato diário com os presos das delegacias. “Os agentes de cadeia vêm para tirar os profissionais da Polícia Civil do cuidado diário com os presos e devolvê-los à atividade de Polícia Judiciária, fazendo com que tenham mais tempo para trabalhar nas investigações”, disse.

VIDEOCONFERÊNCIA – Participaram da reunião o secretário de Estado da Segurança Pública, Júlio Reis; os comandantes das polícias estaduais, representantes do Poder Judiciário, do Ministério Público, da Defensoria Pública e de instituições parceiras.

No encontro, foi anunciada a instalação de equipamentos de videoconferência em todas as penitenciárias do Estado para a realização de audiências com os detentos. A medida evita o deslocamento dos presos, o que permite economia e evita riscos. Além disso, os agentes responsáveis pelas escoltas podem exercer outras funções.

OBRAS – Também foi apresentado um cronograma das principais obras do sistema penitenciário estadual. A previsão é abertura de cerca de 7 mil vagas com a conclusão das construções. Deste total, 1.210 devem ser abertas ainda neste ano, com a inauguração da Penitenciária de Campo Mourão e do Centro de Integração Social de Piraquara, além da instalação de 57 celas modulares.

A reunião contou, ainda, com uma apresentação sobre o trabalho da Polícia Científica do Estado, tanto nas perícias, no atendimento a vítimas de violência sexual e na solução de crimes. A corporação completa 120 anos em agosto de 2018.

PRESENÇAS – Participaram o chefe da Casa Militar, coronel Maurício Tortato; a comandante da Polícia Militar do Paraná, coronel Audilene Dias Rocha; o delegado-geral da Polícia Civil, Naylor de Lima; o subcomandante da PM, coronel Arildo Luís Dias; o diretor-geral da Polícia Científica, Hemerson Bertassoni Alves; o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Fábio Mariano de Oliveira; o diretor do Depen-PR, delegado Francisco Alberto Caricati; o defensor público geral do Estado, Eduardo Abrão; a procuradora do Estado do Paraná, Ana Cláudia Graf; a chefe de gabinete da governadora, Lucília Dias.

Inscrições para processo seletivo acontecem em junho

As inscrições para o processo seletivo de profissionais para o sistema penitenciário são gratuitas e acontecem entre os dias 4 e 12 de junho pelos sites da Secretária de Segurança Pública (www.sesp.pr.gov.br) e do Departamento Penitenciário Estadual (www.depen.pr.gov.br).

A previsão de início dos trabalhos na função é a partir de 21 de julho. O salário é de R$ 3.024,16 e a seleção é válida por um ano, podendo ser prorrogada por igual período. Com jornada de trabalho de 40 horas semanais, o regime de plantão dos profissionais é de 12 horas x 36 horas, com duas folgas mensais.

O processo seletivo consistirá em uma prova de títulos referentes à escolaridade, aperfeiçoamento profissional e tempo de serviço. Podem se inscrever para a vaga homens e mulheres maiores de 18 anos e com ensino médio completo.

“A apresentação de títulos se refere a cursos em qualquer área de formação de segurança e de vigilância. Também conta na pontuação a experiência dentro de delegacias de polícia ou em presídios”, explicou o secretário especial de Administração Penitenciária, coronel Élio de Oliveira Manoel.

SEM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta