Estado garante recursos para unidade de oncologia infantojuvenil

Recurso vai para o Hospital Erasto Gaertner concluir a unidade de atendimento específico de crianças e adolescentes. Será o primeiro do Sul do país a ter um fluxo específico para o atendimento oncológico destes pacientes. A expectativa é ampliar de 20 para 39 o número de leitos infantojuvenis, permitindo o atendimento de 300 novos casos por ano.

0
105
Governador Beto Richa, acompanhado da vice-governadora Cida Borghetti, da secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, do secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto e demais autoridades, assina convênio para a construção da Unidade de Oncologia Pediátrica do Hospital Erasto Gaertner, o Erastinho. Curitiba, 13/03/2018. Foto: Orlando Kissner/ANPr

O governador Beto Richa assinou nesta terça-feira (13/03) convênio para o repasse de R$ 12 milhões do governo estadual para a conclusão do Erastinho, unidade do Hospital Erasto Gaertner, de Curitiba, especializado em tratamento do câncer. Com isso, o Erasto será o primeiro hospital do Sul do país a ter um fluxo específico para o atendimento oncológico de crianças e adolescentes.

Richa destacou que o hospital já é referência nacional em diagnóstico e tratamento do câncer infantil. “O apoio do Estado vem para ampliar ainda mais esse atendimento de qualidade e humanizado que faz o Erasto Gaertner. Com a nova estrutura, será possível dobrar o número de atendimentos”, disse ele.

A obra do Erastinho tem um custo de R$ 24 milhões. A expectativa é ampliar de 20 para 39 o número de leitos infantojuvenis, permitindo o atendimento de 300 novos casos por ano. Poderão ser feitas, no local, até 17 mil consultas, 500 cirurgias e mais de 85 mil procedimentos anualmente.

De acordo com o superintendente do Hospital, Adriano Lago, a inauguração da nova unidade está prevista para o final de 2019. “Além de possibilitar um atendimento exclusivo às crianças e adolescentes, com a ampliação teremos ganho de uma nova área para que o hospital possa aumentar seus atendimentos para a população adulta”, explicou. Ele reforçou a importante parceria com o Governo do Paraná. “O Estado é nosso parceiro neste e em outros projetos. Isso é essencial para conseguirmos manter e ampliar a qualidade no atendimento”.

Somando atendimento de adultos e crianças, são feitas no Erasto Gaertner, em média, 8 mil cirurgias, 240 mil sessões de radioterapia e a aplicação de 80 mil doses de quimioterapia por ano no hospital.

REFERÊNCIA NACIONAL – O governador lembrou que, em sete anos, foram investidos R$ 19 bilhões em saúde pública no Estado e citou avanços como a redução da mortalidade materna infantil, que foi a maior do Brasil, além do desempenho em transplante de órgãos. O Paraná passou de 14ª para a segunda colocação no ranking do País.

Richa também enfatizou os investimentos no serviço aeromédico, que hoje conta com quatro bases na capital e no interior e tem ajudado a salvar muitas vidas. Outra inovação citada pelo governador foi o repasse de recursos aos hospitais públicos, filantrópicos e Santas Casas. “Hoje somos referência nacional em saúde pública, graças aos grandes investimentos que realizamos”, afirmou o governador.

ERASTO – O Hospital Erasto Gaertner recebe, desde 2017, um aporte extra do Estado, de R$ 2,4 milhões por ano, para reforçar sua capacidade de atendimento. Trata-se de um incentivo inédito de custeio para apoiar a instituição, reconhecida nacionalmente pela excelência do trabalho desenvolvido.

O secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto, o afirmou que o Governo do Paraná também dá apoio à expansão dos projetos de descentralização do atendimento oncológico feito pelo Erasto Gaertner. “É uma área que exige respostas rápidas. Por isso, apoiamos a implantação da unidade em Irati e estamos apoiando a abertura de uma unidade em Paranaguá, no Litoral”, disse ele.

A unidade de Irati (Centro-Sul) atende a população dos nove municípios, com capacidade para até 20 sessões de quimioterapia por dia.  O Estado destina R$ 200 mil por mês para custeio e a manutenção do serviço. O mesmo processo ocorrerá na extensão de Paranaguá, onde metade da demanda do Litoral deverá ser atendida. A ideia é implantar um ambulatório avançado com uma série de serviços de na área oncologia.

INTERIOR – O Governo do Estado têm parcerias com outros hospitais de tratamento do câncer, ampliando o acesso ao atendimento pelo SUS. Há convênios com o Uopeccan, de Cascavel, e o Hospital do Câncer de Londrina. Todos recebem R$ 200 mil mensais em incentivos de custeio. Além disso, foram destinados R$ 12 milhões para obras e equipamentos do Hospital da Uopeccan de Umuarama.

PREVENÇÃO – A vice-governadora Cida Borghetti enfatizou a presença do Estado em ações de prevenção e diagnóstico do câncer. Ela lembrou que foram instalados os Centros de Diagnósticos de Câncer de Mama, em Londrina, Cascavel, Maringá e em Curitiba, além do trabalho de campanhas de prevenção. “Trabalhar a prevenção é a maneira mais rápida de buscar a cura”, disse ela.

PRESENÇAS – Participaram da solenidade a secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa; a presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer, Cleide Anastácio Rando; a secretária da Saúde de Curitiba, Márcia Cecília Huçulak; a representante da Associação dos Amigos do Erasto Gaertner, Angela Zanlorenzi; a deputada estadual Cláudia Pereira; o presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Serginho do Posto, e vereadores da capital; o assessor do diretor-geral brasileiro da Itaipu,  Alexandre Teixeira, funcionários e voluntários do hospital.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA