Perplexidade com o Número de casos de violência sexual contra crianças em Sertanópolis PR

De 2017 até hoje, nove casos foram registrados no Município

0
7366

Autoridades Policiais, Ministério Público e vara de proteção a criança estão com nove casos de violência sexual contra a criança. Este número é de 2017 a 2018.  A maioria destes abusos estão vindo do próprio âmbito familiar. Dois dos casos foram Pai e Avô.

O Delegado Dr. Damião Benassi Junior atribui o aumento no número de inquéritos, contra criminosos sexuais a subnotificação que existia, ” Não é que houve aumento no número de casos, o que aumentou foi a notificação desses casos à Polícia, pois, em regra, se o autor desse tipo de crime não é retirado das ruas, o crime continua acontecendo”. Disse o Delegado.

A Polícia Judiciária, Ministério Público estão fazendo o seu papel, identificando e autuando em segredo de Justiça, na forma da lei. E você ?

enfrentamento à violência sexual. dever de todos!

Na maior parte dos casos, a violência ou o abuso sexual é intrafamiliar (cometido por alguém da família), o que torna a vítima em questão ainda mais vulnerável às represálias quando se revela o abuso ou a violência.

Ouvi relatos de mães de crianças abusadas, que me tirou o sono. Uma criança de 4 anos sendo abusada pelo próprio pai. O que me corrói a alma é a inoperância da sociedade Sertanopolense, pois o combate à violência sexual contra crianças e adolescentes necessita de engajamento da sociedade, de instituições, famílias e do governo na prevenção
dos crimes sexuais, no fortalecimento das denúncias e no comprometimento das instituições para que juntas possam, por meio de ações acolhedoras e eficazes, garantir a proteção integral de crianças e adolescentes.

Observei que o Poder Executivo e Legislativo discutem sobre o poder paralelo, alguns até usa o Poder Político para si próprio e questões tão alarmantes como essa, não são pautadas em suas bancadas. Os impactos na criança vítima de violência física, sexual, emocional e moral são irreversíveis, os efeitos são vários: envolvimento em prostituição, uso de álcool ou drogas, dificuldade de inserção na vida social, sentimento de inferioridade e culpa.

No município já teve diversas palestras voltadas para está triste realidade, porém ação e envolvimento da sociedade e dos Poderes, não está existindo. Será que estamos esperando piorar ainda mais? Um Município que quer ser grande tem que proteger quem não terminou de crescer!.

Para denúncias disk 100

Ricardo Ferreira

 

 

SEM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta