Paranaenses são resgatados de rodovia argentina em meio a cenário de destruição

0
154

Parte dos paranaenses que estava isolada em uma rodovia na Argentina, próximo a Engenheiro Maury, foi resgatada. Nessa terça-feira (17), policiais argentinos conseguiram liberar alguns comboios. A expectativa é que, até esta quinta-feira (19), os passageiros possam voltar ao Brasil, passando por cidades como Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Maringá e Londrina.

Os paranaenses estavam em uma excursão que saiu de Londrina rumo ao Peru, para conhecer Machu Picchu. O incidente aconteceu no retorno para o Brasil. Os passageiros deveriam voltar na segunda-feira (16), mas ficaram presos na rodovia no domingo (15).

Pelo menos quatro ônibus deixaram Engenheiro Maury e conseguiram chegar a Salta, onde os passageiros puderam tomar banho e se alimentar. Pelo Facebook, Paula Marroni, de Maringá, vem contando a trajetória e mobilizando a imprensa para pressionar uma ação dos governos brasileiro e argentino.

Em sua página, ela contou da surpresa ao ver o estrago causado pelos desmoronamentos que bloquearam a rodovia.

O rio estava destruído e no lugar dele só havia pedras. Muitas casas foram derrubadas com a correnteza e inclusive algumas casas arrastadas tinham moradores e há registro de dois mortos. A comparação que conseguimos fazer a respeito da magnitude do que vimos aqui não é outra senão Mariana”, contou.

Em Maringá, a mãe de Paula, Maria Lucia Teixeira Andrade está aliviada ao saber que a filha vai voltar para casa. “Inicialmente, ela tentou me tranquilizar, mas depois eu comecei a observar que ninguém estava tomando providências, por isso, fiquei agoniada. Era um local totalmente ermo, em um povoado pequeno”, declarou.

Apesar de parte dos ônibus ter conseguido vencer o bloqueio, a preocupação é com quem ficou. Existem dezenas de pessoas ainda isoladas e havia voltado a chover na Argentina. “Ficou muita gente lá e o estrago é feio”, ressaltou Maria Lucia.

O Itamaraty se manifestou por meio de nota e informou que o Consulado do Brasil em Córdoba está em contato com as autoridades locais para encontrar rápida solução para o caso, com a ajuda do Exército argentino, que busca rotas alternativas.

(Massa News)

SEM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta