Em reunião Extraordinária, Vereadores votam recursos para instituições e associações de Sertanópolis PR

0
131

Os Vereadores questionaram também, esclarecimentos sobre repasses para a Casa de Abrigo, repasse esse que não foi liberado até o momento.

O Vereador Wagner do Sindicato postou em sua rede social (Facebook) a reunião Extraordinária na Câmara de Vereadores. Conforme ele a reunião teve como objetivo tratar das Subvenções (Autorização para repasses de verbas as entidades, associações do município) para este ano 2017.

“Os projetos de Lei foi encaminhado pelo Prefeito Municipal para deliberação e aprovação desta Casa Legislativa, conforme lista a seguir:
Projeto de Lei nº

001/2017 – APAE SERTANÓPOLIS, verba de ATÉ R$ 160.000,00;

002/2017 – CRECHE Pe. VICENTE MARIANI, verba de ATÉ R$ 400.000,00;

003/2017 – MISSÃO FILADÉLFIA (CRECHE), verba de ATÉ R$ 320.000,00;

004/2017 – ASILO SÃO VICENTE, verba de ATÉ R$ 40.000,00;

005/2017 – MISSÃO FILADÉLFIA (CLÍNICA), verba de ATÉ R$
55.000,00;

007/2017 – ASSOC. KARATE KYOKAI, verba de ATÉ R$ 30.000,00

008/2017 – A.P.A.C, verba de ATÉ R$ 40.000,00 anual;

OBSERVAÇÕES:

1) O Projeto de Lei nº 006/2017 que trata de repasse para Serviço de Obras Sociais– SOS de Sertanópolis que hoje gere a Casa Abrigo, no importe de ATÉ 90.000,00/ANO, solicitamos através Ofício maiores esclarecimentos para Executivo Municipal, bem como documentos e Relação de Gastos do ano de 2.016, para autorizar o devido repasse, contudo até a presente Reunião não havia sido respondido tal ofício.

2) Toda documentação foi analisada e emitido Parecer favorável pelo repasse pela Assessoria Jurídica da Câmara e Comissão de Finanças e Justiça;
Vou acompanhar de perto as necessidades das referidas entidades, bem como analisar a possibilidade de aumento, se for o caso, para próximo ano, conforme demandas etc”. Postou

Em sua pagina,  o Vereador Wagner foi  questionado sobre algumas instituições que não receberam repasses como a Radio Sertão a qual é acida de informação na cidade, e também repasse para Cultura.

Em resposta o mesmo informou, que esses projetos são referente ao ano de 2016, e que para o próximo ano poderá analisar melhor e conversar a respeito.

Uma das coisas que queremos saber é porque a APAE sendo uma instituição que cuida de crianças especiais está recebendo menos recurso? E porque  não existe nenhum tipo de projeto ou instituição que cuide de jovens e adolescentes em situação de risco? Como combater a criminalidade no Município?

777

 

 

SEM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta